A imagem de Meghan Markle que causou polêmica na internet

Fico impressionada como as pessoas gostam tanto de ostentar um tal feminismo que defende o direito das mulheres e não deixam na realidade as mulheres em paz. Vide o caso da primeira aparição de Meghan Markle como integrante da realeza, uma chuva de comentários hostis e pré-julgamentos sobre uma pessoa que na verdade ninguém conhece só especulam.

Entendo a importância e valorizo a voz feminina, o não deixar se submeter ao outro, seja ele quem for, até mesmo uma mulher que seja sua gestora no lado profissional. Aprecio a independência financeira, afetiva e todas as demais, seja qual for o sexo ou gênero, pois só quem se ama, se garante e consegue estar aberto a amar o outro, sustentar financeiramente ou emocionalmente seu par seja conjugal, amizade ou familiar.

Eu cresci ouvindo e vendo que o melhor era ser uma mulher independente, e isso me fez criar uma armadura dura, agressiva e individualista. Nunca pensei em casar, nem em ter filhos, constituir família… Quis namorar, mas o fato de pensar em casamento não fazia sentido dentro do que eu acreditava.

Foi com meu segundo namorado, meu atual marido que eu quis ser plena em minha essência mulher. Com ele eu quis casar, com ele construo um lar diariamente. Aprendi que somos eficientes de maneiras diferentes, se é homem ou mulher, não importa, eu aprendi que a minha essência é acolhedora, intuitiva e dinâmica e enquanto ele é prático, bem-humorado e compreensivo.

Aceitei e aprendi a pedir ajuda, entendi que cada um tem suas qualidades e se dedica ao outro na medida do possível não do idealizado. No dia que estou cansada ele lava os pratos e no dia que estou inspirada convido e pago o jantar. Não há regras, há espaço para entender o momento do outro e aceitar o presente daquele momento, recebendo ou doando, dinheiro, atenção ou tempo para o outro.

É assim que se constrói uma vida, um lar, uma família. Por muito tempo fiquei na defensiva, era natural meu e hoje que aprendi que eu posso, devo, mereço e agradeço gentilezas, sempre que posso passo este ensinamento adiante na forma de pagar ou aceitar cafés no encontro com amigas, família ou clientes.

Talvez o maior delgado de Meghan Markle seja mostrar ao mundo que uma mulher pode ser o que ela quiser, até ser princesa, se assim o quiser. Foi uma escolha dela viver dentro das regras da realeza e que mal tem nisso? Ela não foi coagida, ela escolheu e cabe a cada uma de nós mulheres, respeitar e endossar que cada uma é livre para ser quem quiser.

Vamos deixar um pouco de lado a vida alheia e cuidar da nossa? Respeitar o outro e as escolhas que o outro faz para a vida dele é o começo para a sua ser saudável e boa também. Tenho certeza que você tem assunto mais interessante que cuidar da roupa da Meghan Markle ou o que ela fará após o casamento.

 

Fonte da foto: Google

Publicitária, Produtora de Moda, Personal Stylist, Consultora de Imagem especializada em acessórios pela renomada escola francesa Ecole Supérieure de Relooking. Atua com a autoestima feminina há 15 anos, interagindo com conhecimento e seu olhar criativo para que todas (que já passaram ou passarão em sua vida), possam alcançar o objetivo de ser feliz e realizada consigo mesma, em uma leve diversão de esconder e enaltecer o que e quando quiser, para se ser plenamente quem é em estilo, atitude e beleza.

Leave A Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *